Como pode um cego e surdo se apaixonar?

0 comentários


Para os mais críticos começo dizendo que esse artigo tem mais a ver com a relação entre os sentidos e o amor do que com a deficiência em si. Pessoalmente não conheço alguém com as duas deficiências em simultâneo, mas após me lembrar de alguém por quem me apaixonei pelo telefone pensei comigo mesmo: ta certo que ainda não a tinha visto mas me apaixonei pela sua voz, humor e talento na conversação, mas e se eu não pudesse ouvi-la, como seria? É possível sim se apaixonar por alguém que não pode-se ver e nem ouvir, apenas tocar, sentir seu cheiro e abraço. O amor é algo tão complexo que ultrapassa qualquer barreira mesmo a comunicação oral e contacto visual, não acreditam? Ora vejamos: como podes saber que um gato ou cahorro gosta de ti?, vendo suas atitudes, o abanar do rabo, o saltitar e coisas como essas, e do mesmo jeito o animal percebe que o dono tem carinho por ele, por mais que não entenda nossa linguagem, se tentares fechar os olhos e tocar em alguém que amas em silêncio sentirás que os restantes sentidos são tão fortes quanto os primeiros. A barreira da comunicação é vencida pela vontade humana de o fazer, ela é intuitiva, a gente se comunica até nos passos, quando estamos andando com alguém eles se sincronizam, existe também a linguagem braile, o tacto e as recentes teconologias para ajudar as pessoas incapazes de o fazer pela voz.
O problema talvez seja mesmo o primeiro contacto, o caminho até a paixão, isso pode requerer uma grande mãozinha do destino, mas quem é que não precisa?


O que você acha? 



Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário, junte-se a nós no facebook!

Ocorreu um erro neste gadget